quarta-feira, setembro 20, 2006

Por que escrever num blog?

Já tive blog há muito tempo, quando era apenas encarado como lugar onde patricinhas escreviam suas futilidades, e quando não se podia moderar comentários, a coisa era tão séria que alguns colegas me olhavam atravessado e faziam chacota... pobres mentes míopes.

Deixei de publicar por falta de tempo, agora estou de volta, não com tempo, mas pelo menos com mais coragem, já que o rol de quem eu tenho que chamar de fdp está cada dia maior e não consigo ficar calado mesmo.

Hoje blog virou coisa de jornalista importante e até de grandes (e não tão grandes assim) cientistas (mais gente para o rol supracitado).

Por que escrever num blog? Para mim é pelo mesmo motivo que se escreve um livro (útil), para propagar alguma informação que possa ser útil, divertida ou simplesmente informativa e nada mais. Tanta gente escreve tantos livros que não passam de lixo e ainda ganham dinheiro com isso, então por que eu não posso escrever alguma coisa que não é tão lixo assim (que pelo menos possa levar alguém de um ponto a outro) de graça?

No mais não estou interessado em conversar fiado e sim em causar impacto, perturbar e mesmo chatear uma porção de babacas (de todos os tipos possíveis) que andam poluindo a internet com um monte de futilidades e inverdades, entre outros.

E para começar:

“O que nos diferencia dos outros animais é muito pouco, mas poucos gozam deste pouco.” Confúcio (~500 a.C.)

li isso quando criança, entendam como quiserem.

4 comentários:

cesar disse...

O que difere um Homem de uma Árvore? O que é ser racional? Esta última pergunta pode até deixar margens para se filosofar mas a primeira, Homem...Árvore....Uma Árvore é um Homen que não pensa!...Me perdoem as Árvores que, além de estarem sendo destruidas, levam a cruz dessa comparação.
Ouví em um dos poucos programas que prestam na TV brasileira, o seguinte:
O maior investimento que se pode fazer é o investimento no Homem.
Existem muitas pessoas investindo nas Árvores e elas estão se acabando. Formemos Homens ... e, depois investamos neles!!

João Carlos disse...

Eu só reparei neste post hoje. Não sei quanto a sua motivação, mas a minha é bem expressa por Chico Buarque, em "Cordão":

Ninguém Ninguém vai me segurar
Ninguém há de me fechar
As portas do coração
Ninguém Ninguém vai me sujeitar
A trancar no peito a minha paixão
Eu não
Eu não vou desesperar
Eu não vou renunciar
Fugir
Ninguém Ninguém vai me acorrentar
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder sorrir

Ninguém Ninguém vai me ver sofrer
Ninguém vai me surpreender
Na noite da solidão
Pois quem Tiver nada pra perder
Vai formar comigo o imenso cordão
E então
Quero ver o vendaval
Quero ver o carnaval Sair
Ninguém Ninguém vai me acorrentar
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder sorrir
Enquanto eu puder cantar
Alguém vai ter que me ouvir

Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder seguir

Kynismós! disse...

João, você já tinha reparado este post antes, até comentou (sobre um comentário meu no Roda de Ciência) minhas "segundas intenções" quando o viu.

Uma de minhas motivações é não aguentar ver gente instruída fazendo o mal, a outra é compartilhar as belezas libertadoras do reino do espírito.

João Carlos disse...

Então, só agora entendi. O que mostra que não se deve ler as coisas apenas uma vez...

Outro Krishnamurti dizia que, ao nos deparamos com uma idéia desconhecida, não devemos nem aceitá-la, nem rejeitá-la. Ao que parece, eu me esqueci disso, também...